Facebook Youtube WhattApp73 99195-4225

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Pacto de silêncio ordenado por Bolsonaro dura menos de três dias, diz coluna


Após mais um embate no governo, com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, atacando o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos (veja aqui), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tentou acabar com as farpas públicas. Segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, na terça-feira (27), ele fez um apelo aos ministros por um pacto de silêncio. Não funcionou. Menos de 72 horas depois, o titular de Economia, Paulo Guedes, atacou o chefe do Ministério do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Durante uma audiência pública no Congresso, nessa quinta-feira (30), o primeiro disse que “a Febraban é casa de lobby” que financia “ministro gastador para ver se fura o teto”, uma referência indireta ao colega. De acordo com a publicação, a atitude de Guedes pegou mal entre os auxiliares do presidente que acham difícil pacificar a relação dos dois. Eles rivalizam dentro do governo, tendo como pano de fundo discordâncias sobre o teto de gastos. (Bahia Notícias)