Facebook Instagram Youtube WhattApp73 99119-1758

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Opinião: Flamengo imponente massacra Grêmio com futebol encantador


*Por Romário Henderson

A classificação do Flamengo para a final da Libertadores da América, após 38 anos, foi inapelável. Como um boxeador que se impõe contra seu oponente, levando-o à lona e nocauteando-o, o Flamengo massacrou o Grêmio em todos os dois confrontos. Posse de bola, muita intensidade, linhas altas, futebol bem vistoso, encanto total. Quem assiste aos jogos do Flamengo em 2019 não assiste apenas a uma partida, desfruta de um verdadeiro espetáculo, simplesmente assim. Na partida derradeira, o Grêmio vinha até fazendo um primeiro tempo parelho, adiantou a marcação, forçou o Flamengo a dar alguns chutões, Matheus Henrique encostou em Gerson, Maicon em Arão, Alisson e Everton Cebolinha nos dois alas… Mas Bruno Henrique com suas passadas largas e sua velocidade descomunal carregou a bola e viu Gabigol fazendo o chamado “facão”, uma infiltração por trás da defesa, ele chutou, Paulo Victor deu rebote e Bruno Henrique, no rebote, abriu o placar. Esse foi um duro golpe para os gremistas. A volta do intervalo foi o momento do nocaute. Em 21 minutos o Flamengo fez três gols, já vencia por 4 a 0 e a torcida gritava olé. Gremistas tontos, cambaleantes, apelando, inclusive, para o time do Flamengo não fazer graça e diminuir a intensidade. Pareceu o pedido de Fred a Tony Kroos, no fatídico 7 a 1 entre Brasil e Alemanha na Copa-2014. Mas o Flamengo tem um treinador que tem sido um divisor de águas desde que chegou. Não importa o placar, sempre quer o time em cima, pra cima, brilhando, desfrutando do futebol. A propósito, Jorge Jesus, ou o Mister, como prefere ser chamado, transformou em 3 meses o Flamengo em um time quase imbatível. Está mostrando que é possível vencer e convencer. O Flamengo tem um estilo de jogo imutável, não importa onde jogue, não importa qual o adversário, o time sempre tem a bola, propõe o jogo, tem todas as suas variantes, deixando os adversários na roda e sem saída. A supremacia diante do Grêmio foi tão soberba que o time marcou dez gols nos dois confrontos, sendo que quatro bolas nas redes foram anuladas. Que marca incrível! Os jornais argentinos estamparam que o Flamengo é temível, e é mesmo, e merece voltar ao topo da América, como outrora. A final será dia 23 de novembro, no Estádio Nacional de Santiago, no Chile. O Flamengo, agora, é o Brasil na Libertadores.