Facebook Instagram Youtube WhattApp73 99119-1758

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Bebê passa da hora de nascer, morre na barriga da mãe e pais culpam médico de negligência


O sonho de carregar o filho no colo se tornou um pesadelo para uma mãe, em Porto Seguro, sul da Bahia. Crislaine Souza, de 18 anos, afirma que estava grávida de 41 semanas e, por conta da demora no atendimento, o filho morreu ainda na barriga, antes do parto ser realizado. Os pais acusam médicos e o Hospital Luiz Eduardo Magalhães de negligência. Segundo relato da mãe da criança, o drama teve início na tarde do dia 11 de fevereiro, quando ela começou a sentir as contrações. A jovem conta que foi para a unidade de saúde, acompanhada de familiares, mas teve de aguardar por cerca de 4h horas para ser atendida. Segundo ela, a médica que a examinou disse que ela estava com pouca dilatação e a mandou de volta para casa.

No dia seguinte, Crislaine disse que voltou cedo para o hospital novamente com contrações e dessa vez apresentando sangramento. Ela disse que foi novamente atendida e internada. A mãe conta que aguardou por um leito por cerca de 15h, deitada em uma cadeira. Outra médica que a atendeu, segundo ela, a medicou com um remédio para induzir o parto. A mãe conta que as dores aumentaram, assim como a dilatação. Por volta das 12h50 do dia 13 de fevereiro, outro médico atendeu Crislaine e, no exame, descobriu que ela estava com oito centímetros de dilatação. Ela disse que o médico tentou ouvir o coração do bebê e não conseguiu. O profissional, então, teria pedido a realização de um ultrassom e constatou que a criança já estava morta.

Uma cesariana foi feita para retirar o corpo do bebê de dentro da mãe. Os pais da criança ficaram revoltados e pedem justiça, porque acreditam que o bebê nasceu morto por negligência médica. Os pais prestaram queixa na Polícia Civil, que investiga o caso.