Facebook Instagram Youtube WhattApp73 99119-1758

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Família diz que jovem deficiente morreu ao esperar atendimento no HGI


Uma jovem deficiente, de 21 anos, faleceu na recepção do Hospital Geral de Ipiaú, na tarde dessa terça-feira (01). A afirmação é dos familiares que acusam a médica plantonista de negligência. De acordo com relatos dos familiares, a paciente sentiu-se mal e foi levada às pressas para o HGI, onde passou pela triagem e ficou aguardando o atendimento que, segundo a família, teria demorado cerca de meia hora. “Enquanto a médica estava almoçando, minha irmã estava morrendo aqui. Se ela tivesse sido atendida, talvez estivesse sobrevivido, mas não deram prioridade para ela e acabou morrendo nos braços de minha mãe”, disse ao GIRO, Bruna Bispo dos Santos, irmã da paciente. Ainda segundo informações da família, o hospital se negou a dar o atestado de óbito, alegando que a paciente chegou morta. “Como que minha irmã chegou morta se ela estava gemendo o tempo todo aqui nos braços da minha mãe”, retrucou Bruna. O diretor do Hospital Geral de Ipiaú, João Henrique, rebateu a acusação. “A paciente chegou em óbito, ela foi vista pelo pessoal da triagem, foi vista pela médica prontamente, não teve essa demora, como ela (família) falou. Está tudo lá no prontuário. O problema é que o pessoal da família se desesperou quando soube do óbito”, comentou Henrique. A paciente Geane Bispo dos Santos residia no distrito do Japomerim, município de Itagibá. Ela perdeu os movimentos do corpo, ainda criança, após uma meningite. O velório acontece na casa da família, na Rua Esmeraldo Rocha. O sepultamento está previsto para às 14h dessa quarta-feira no cemitério do Japomerim. (Giro Ipiaú)