Facebook Youtube WhattApp73 99195-4225

terça-feira, 10 de março de 2020

Mãe de menino violentado e morto por trans desabafa após reportagem: “Estou tremendo até agora”


A mãe do garoto violentado e morto pela detenta Susi de Oliveira, da Penitenciária José Parada Neto, de Guarulhos, se pronunciou dizendo o que sentiu ao ver a reportagem do Fantástico. Na última segunda-feira (9), a mãe da vítima, a doméstica Aparecida dos Santos, falou pela primeira vez sobre o caso e se disse indignada com a reportagem da TV Globo. Em entrevista ao programa ‘Alerta Geral’ da Rede TV, ela deu o seu relato. “Para mim, foi um baque muito grande. Inclusive, quando eu vi a matéria, fiquei com dor de cabeça. Eu estou tremendo até agora”, contou. Ela continuou falando sobre o que a teria indignado. “Foi dele receber um abraço, receber cartinha, e ainda receber bombonzinho na prisão! Eu recebi o quê? Nada! Nada nesses dez anos”, lamentou Aparecida. Por fim, a doméstica disse ter dado à luz, mais uma vez, após o assassinato do filho. “Deus me deu um filho de volta para mim, que é Matheus. Graças a Deus, estou me reerguendo. Mas muito indignada”, finalizou. A detenta, cujo nome de batismo é Rafael Tadeu de Oliveira dos Santos, escreveu uma carta a mão, onde confessa o assassinato e diz estar pagando pelo crime. O documento foi divulgado no Instagram da advogada Bruna Paz Castro, que na semana passada decidiu ajudar Susi nos direitos da execução criminal, fase onde a mesma se encontra, após julgamento da setença e júri popular, que ocorreu em 2013. Na ocasião, Bruna solicitou não haver julgamento, uma vez que já houve a condenação.