Facebook Youtube WhattApp73 99195-4225

segunda-feira, 23 de março de 2020

“Estamos nos preparando para o pior”, diz Leo Prates sobre processo de vacinação


O secretário municipal de Saúde, Leo Prates, esteve presente em evento de anúncio das novas medidas contra o coronavírus. Com a presença do prefeito ACM Neto, foi abordada a campanha nacional de vacinação, que teve início na manhã desta segunda-feira (23). Com a ideia de doze drive-thrus para atender a população, Leo mostra satisfação com a inovação e declara que objetiva vacinar o máximo de idosos em menor tempo possível. “Peço paciência às pessoas porque estamos tendo que nos reinventar. No Centro de Convenções eu tive que deslocar equipes de três distritos porque houve uma sobrecarga imensa. Está disparada a quantidade de carros, mas isso mostra que a população está querendo colaborar, prevenir e cuidar da sua saúde”, disse em coletiva. O Secretário também afirma que há dificuldade no recebimento de material. Até o momento, apenas 166 mil doses foram recebidas para atender 780 mil pessoas, mas apesar o problema que está enfrentado, Prates tranquiliza a população afirmando que não faltará vacina e que mais doses estão a caminho. Além disso, ele falou sobre medidas restritivas que estão sendo tomadas e anunciou que outra unidade para vacinação será inaugurada amanhã, na terça-feira (24). “Essas medidas restritivas é para que nós tenhamos o melhor cenário, mas nós estamos nos preparando para o pior. Estamos abrindo o máximo de postos de saúde, o prefeito determinou isso, e nós já restringimos a entrada no Hospital Municipal a partir de quarta-feira. Só entra regulado, através de UPAs e PAs, e em um segundo momento, se for necessário pra salvar a vida das pessoas”, afirmou. Leo Prates também pediu para que as pessoas que não corressem grave risco de vida fossem à uma unidade básica de saúde e deixasse as UPAs e PAs para os problemas de maior urgência. “Se você foi na UPA e recebeu uma pulseirinha azul e verde, quer dizer que o seu caso não tem gravidade, se não tem [gravidade], vá pra unidade básica de saúde, deixe as UPAs e PAs para quem realmente precisa, e eu me refiro não só as prefeituras mas as UPAs do Governo do Estado também”, apelou.