Facebook Instagram Youtube WhattApp73 99119-1758

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Mãe e bebê, de Santo Amaro, são diagnosticados com sarampo durante visita ao Japomirim


Uma jovem de 18 anos e o seu bebê de apenas 10 meses, moradores da cidade de Santo Amaro, e que visitavam parentes no distrito do Japomirim, município de Itagibá, foram diagnosticadas com sarampo. A informação foi divulgada na última segunda-feira (01/10) pela Sesab. Vale ressaltar que a cidade de Santo Amaro já registrou 8 casos da doença, até a divulgação do último boletim da Secretaria de Saúde da Bahia. A assessoria de imprensa da prefeitura de Itagibá informou que, diante do alerta epidemiológico, todas as medidas preventivas foram tomadas. Ainda segundo a prefeitura, no dia 28 de agosto foram abertas as investigações sobre a suspeita de sarampo na mãe e filho. “Um bebê, de 10 meses, e mãe dele, de 18 anos, apresentavam os sintomas de febre, manchas vermelhas na pele, conjuntivite, tosse e coriza. Constatados os casos suspeitos de sarampo, o departamento de Vigilância Epidemiológica do município, juntamente com a Equipe da Unidade de Saúde da Família Gustavo Henrique, que fica no distrito, com apoio do Núcleo Regional de Saúde (Dires), traçou estratégia para impedir a circulação do vírus. Foram realizadas ações de notificação dos casos suspeitos, a identificação das pessoas que tiveram contato com os doentes, bloqueio vacinal nas proximidades da residência, onde as duas pessoas estiveram, em tempo hábil, após 15 horas após os casos identificados, coleta de duas amostras para realização do exame de diagnóstico e intensificação de vacinação em todo o município, principalmente área dos casos”, informa a secretaria de saúde do município de Itagibá. A secretaria municipal ainda ressalta que a única forma de prevenção é a vacinação. O município vai realizar uma Campanha de Vacinação contra Sarampo entre os dias 07 e 25 de outubro. A Sesab alerta para o risco da ocorrência de novos casos associados a esse surto, inclusive em outros municípios baianos, o que torna essencial a manutenção de uma vigilância ativa para detenção oportuna de casos suspeitos, a intensificação da vacinação de rotina e a realização da Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo.