Facebook Instagram Youtube WhattApp73 99119-1758

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Imagem de Geddel não impactará o PMDB nas eleições, afirma Reis


O vice-prefeito Bruno Reis descartou a possibilidade de influência sobre a imagem do partido em decorrência das investigações referentes ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, que foi preso no último dia 13 de julho. “Geddel já havia saído da vida pública, já não estava mais à frente do partido, não estava mais participando do dia a dia da política. Cada um tem seu perfil, seu modo de trabalhar, não creio que haja esse tipo de contaminação”, avaliou. Na última terça-feira (5), a Polícia Federal apreendeu mais de R$ 51 milhões em um apartamento usado por Geddel para, supostamente, guardar documentos de seu pai (clique aqui). Apesar da crise envolvendo o correligionário, Reis acredita que os fatos não devem impactar negativamente nas eleições em 2018. “O partido já vinha sido conduzido pelo deputado Pedro Tavares, o partido está em um processo de renovação de seus quadros, com lideranças jovens, que vêm assumindo posição destaque, como é meu caso, como vice-prefeito, diversos prefeitos eleitos na Bahia, novos vereadores na Câmara Municipal de Salvador. E a nossa expectativa é ampliar”, pontuou, destacando a presença do partido no governo federal. “Hoje, o fato de ter o apoio do governo federal é uma ponte para a liberação de recursos para os municípios. Então creio que os prefeitos não vão perder essa oportunidade de ter acesso aos recursos e aprimorar e melhorar ainda mais sua gestão”, argumenta. O vice-prefeito não quis comentar sobre a eventual filiação do ministro Antônio Imbassahy (PSDB) ao PRB, de forma a compor chapa com o prefeito ACM Neto. “Nós estamos focados em gestão, esse é um ano de trabalho. Se a gente ficar pensando em eleição no ano que não tem eleição, a gente não consegue dar os resultados que a população espera”, disse.